SOBRE UVAS E VINHOS... DOURO... PÊSO DA RÉGUA... PORTUGAL


07 ago 2014 às 16h57


Dando sequência à minha viagem a Europa durante o mês de Junho, eu viajei da Borgonha, via Geneve, direto para a cidade do Porto.

Lá chegando , aluguei um carro e em menos de uma hora e meia já estava na região vinícola do Douro.

É relativamente perto.

O Douro nasce na Espanha, entra em Portugal trás dos montes, atravessa o País de leste a oeste e desemboca no mar na cidade do Porto.

A região vinícola do Douro vai de Mesão Frio até Foz Coa.

A cidade de Pêso da Régua é a referencia de toda esta região.

Inclusive há um passeio de barco, de um dia inteiro, que sai do Porto pela manhã e chega na Régua por volta das 17hs.

Neste passeio você fica dentro do barco o tempo todo. É servido um café da manhã e o almoço. Você só desce mesmo na Régua. Visita uma vinícola e volta para o Porto de trem.

Como eu disse anteriormente eu aluguei um carro no aeroporto do Porto, peguei a direção leste para Vila Real.

Antes de chegar nesta cidade, há duas opções de estradas para o Pêso da Regua. Uma, de duas pistas que vai direto e rápido, em no máximo 20 minutos.

Uma outra, simples, pequena, cheia de curvas, que passa por dentro dos vinhedos e das pequenas vilas, e que leva 45 minutos.

O agroturismo que eu escolhi, Quinta Solar da Portela fica nesta estrada menor.

É uma pousada bem familiar, com acomodações bem simples, mas muito confortáveis.

Fica no meio dos vinhedos, e os donos são muito atenciosos.

Dali na Regua leva-se no máximo 15 minutos por estradas secundárias passando pelas vilas e vinhedos.

Apesar do Pêso da Regua ser a cidade referencia, a maioria das Quintas ficam em Pinhão, uma pequena cidade, 20 quilômetros acima no Douro.

Chega-se lá por uma estrada estreita que segue margeando o rio.

Visitei as Quintas do Crasto, Nova, Seixo/Ferreira (Barca Velha, Ferreira, Ferreirinha, Sandman), Carvalhas/Real Companhia Velha ( Porca de Murça), Cooperativa de Mesão Frio, e outras menores.

Na maioria delas tive de fazer reservas por e-mail com antecedência.

O vinho Barca Velha é produzido pela Sogrape, atual proprietária da Ferreira, na Quinta da Lêda em Foz Coa, mas não permitem visita.

Só me disponibilizaram uma garrafa do Barca Velha (2004). Mesmo assim tive de retirar na cidade do Porto, na sede da Ferreira que fica junto as Caves do Vinho do Porto, na beira do rio Douro.

Durante muito tempo os vinhos Portugueses eram conhecidos pela origem das regiões demarcadas como Alentejo, Douro, Dão , e pela marca, nome, e rótulo.

Não davam muito importância as castas de uvas com que os vinhos eram produzidos.

A grande maioria dos vinhos portugueses são produzidos com uma variedade grande de castas como Trincadeira, Touriga Nacional, Aragonez, Alicante Bouschet e muitas outras.

Em Portugal há uma variedade enorme de castas de uvas, com denominações próprias.

Hoje, alem da região demarcada, que continua sendo muito importante, os rótulos explicitam as castas utilizadas, e fazem também referencias e descrições de aromas e sabores.

Uma vinícola que considero imperdível é à Quinta do Crasto. O tour de reconhecimento, as explicações do guia, as instalações, a degustação, e principalmente a possibilidade de conversar e fazer perguntas técnicas e específicas ao enólogo responsável, agrega uma valor incrível.

O melhor vinho da Quinta do Crasto é proveniente de uvas de um único vinhedo, com cepas de mais de 70 anos . Fica em uma encosta sobre o Douro e recebe o sol da manhã, diretamente.

Há pouco tempo contrataram um profissional especializado para fazer um estudo deste vinhedo e surpreendentemente ele identificou cerca de 50 diferentes castas de uvas !!!

O vinho produzido deste vinhedo, com estas 50 diferentes castas de uva é o QUINTA DO CRASTO – Reserva – Vinhas Velhas.

Custa por volta de E$ 45,00 a garrafa, e é muito bom !

Um lugar naquela região do Douro que poucos visitam é Mesão Frio.

Lá há uma Cooperativa de pequenos agricultores que produz vinhos da melhor qualidade e preços muito bons.

Você compra bons vinhos por preços que variam de R$ 3,00 a 10,00.

O trajeto para lá é também muito bonito, margeando o Douro.

Toda a região do Douro, antigamente, era conhecida e dominada pelo Vinho do Porto

Hoje está acontecendo uma mudança estratégica.

Estão colocando bastante ênfase na produção do Vinho Tinto de Mesa.

A razão é simples. Consome-se uma garrafa deste vinho muito mais rápido do que do Vinho do Porto, que é bebido em cálice e em ocasiões especiais.

A possibilidade de vender quantidades de vinho tinto de mesa é muito maior.

Quem quiser visitar esta região acredito que três a cinco dias são suficientes para conhecer várias quintas.

Há bons hotéis e agroturismos de vários níveis, e preços.

Há também bons restaurantes. Não muitos, mas o suficiente.

A escolha tem ser em função do gosto e do bolso de cada um.

Se alguém quiser alguma dica ou sugestão estou às ordens.

Quinta Solar da Portela.
 

Deixe aqui o Seu Comentário

Seja o primeiro a Comentar!
OK
Informe o seu nome.
OK
Informe o seu e-mail.
OK
Informe o seu site.
OK
Informe o seu comentário.