SOBRE UVAS, VINHOS E HISTÓRIA... CIDADES IMPORTANTES NA PROVENCE


25 nov 2015 às 11h45


   
Em meu post anterior, que falei sobre Châteauneuf-du-Pape, estávamos ainda sobre o impacto dos atos de terrorismo em Paris.
Infelizmente este mal tem se alastrado pelo mundo todo. O que não podemos é deixar de viver nossos sonhos, nossas viagens.

  

Neste post, vou falar sobre algumas cidades da região sul e sudoeste da França, próximas de Chateauneuf de Pape, que valem a pena ser incluídas em sua programação.

Avignon, a cidade mais importante. Foi sede da Igreja Católica de 1305 a 1377.
Uma das principais atrações é o castelo sede do Papado.
No post anterior, narrei a história da mudança do Papado de Roma para Avignon.
Fica no centro da cidade e oferece tours em diversas línguas.

É uma cidade de porte médio para grande, super movimentada, com ruas de comércio, lojas e restaurantes. O centro é rodeado de muralhas.
Se for de carro, a sinalização é muito boa.
Há alguns poucos estacionamentos dentro das muralhas. O melhor é estacionar fora e ir caminhando.

Avignon fica às margens do Rio Rhone.
A velha ponte da canção francesa "Sur le pont d’Avignon" é um dos pontos turísticos mais visitados.

Meio dia é suficiente para passear e conhecer a cidade.

Palácio sede da Igreja Católica em Avignon

Sur le pont d’Avignon

Próximo está Nimes, uma das mais importantes cidades do Império Romano da Europa.
É uma cidade de porte médio para grande.
As atrações estão no centro histórico.
O anfiteatro romano, construído em 27a.C. na época do imperador Augusto, foi totalmente remodelado em 1863 para as corridas de touros, e é considerado o mais bem conservado.
O tour inclui visita às instalações internas e a todos os níveis de arquibancadas.
Na entrada, há audiofones disponíveis em diversas línguas, inclusive em Português.

No centro, também fica a Maison Carrée, construída em 16a.C. em homenagem a Caio e Lúcio César, netos do imperador Augusto, e considerada o templo romano mais bem conservado.
A arquitetura serviu de inspiração para as construções do Capitólio em Washington D.C. e da Madaleine de Paris.
Este templo não é muito grande e a atração além da arquitetura é a apresentação de um audiovisual com a história da cidade.

No centro, há várias lojas e restaurantes.
A cidade tem outras atrações históricas, mas não tão significativas.

Há um estacionamento subterrâneo muito próximo do centro.
É um passeio também de meio dia.

Anfiteatro romano, Nimes
   
Maison Carree em Nimes
   

Ponte romana em NimesRuínas romanas em Nimes

Pont du Gard é o que restou de um grande aqueduto do Século I, que fazia parte de todo um complexo construído pelos romanos, para trazer água para a cidade de Nimes.
O rio embaixo dos arcos é o Gardon.
É um lugar muito bonito e, se tiver tempo, vale a pena ir conhecer.
Uma dica, no Verão dá para entrar na água, que é muito limpa.

Pont Du Gard, Nimes

Pont Du Gard – Rio Gardon, Nimes

Le Beau são ruínas de um castelo medieval no topo dos rochedos.
A história não é tão significativa.
O lugar, no entanto, é simplesmente lindo.
A subida do castelo é por uma rua estreita, cheia de lojas, butiques e restaurantes.
O castelo está em ruínas, mas dá para caminhar pelas muralhas que sobraram.
No chão, há varias catapultas utilizadas nas guerras medievais.

Ruínas de castelo, Le Beau
  
Catapulta em Le Beau
 

Reprodução da utilização do pêndulo em ataque
    
Pêndulo de madeira para ataque, Le Beau
   

Saint Rémy de Provence, a primeira vez que fui para esta região, foi ali que me hospedei por três dias.

De porte pequeno, fica muito próximo de todas estas cidades, inclusive Châteauneuf-du-Pape.
É muito fácil, a partir de Saint Rémy, conhecer toda a região.
A cidade tem um pequeno centro comercial e vários restaurantes.
Saint Rémy
também tem suas atrações turísticas e históricas.
É cidade natal de Nostradamus. Na casa onde nasceu, há uma placa indicativa.
Ele, no entanto, viveu a maior parte da sua vida em uma cidade próxima, Salon de Provence, onde inclusive está o seu museu.
Em Saint Rémy há ruínas romanas e o Sanatório, hoje transformado em museu, onde Van Gogh ficou internado vários meses e pintou muitas telas.
O interessante deste museu é que há a indicação dos lugares que serviram de inspiração para as telas.

Quarto de Van Gogh, Museu em Saint Rémy de Provence
   
Museu Van Gogh, Saint Rémy de Provence
  

Placa na casa onde nasceu Nostradamus
   
Nostradamus, museu em Salon de Provence
  

Museu de Nostradamus, Salon de Provence
   

Museu de Nostradamus, Salon de Provence
  

A programação da viagem vai depender do interesse de cada um.
Todas estas cidades que estou recomendando – Châteauneuf-du-Pape, Avignon, Nimes, Le Beau, Saint Rémy de Provence – ficam muito próximas umas das outras.

Visitando cada lugar por um tempo necessário dá para fazer tudo em quatro dias.


OUTRAS CIDADES DA PROVENCE QUE PODEM FAZER PARTE DA SUA PROGRAMAÇÃO

Saindo da região de Avignon, indo para leste em direção à Itália, há várias opções de cidades e vilas à beira-mar, a Côtes d’Azur.

A primeira que merece uma parada é Saint-Tropez.
Famosa nos anos 60 pelo filme E Deus Criou a Mulher!,com Brigite Bardot.
A cidade virou um point, e até hoje é uma atração turística muito grande.
O ideal é ficar em um hotel no centro, próximo das marinas, onde estão ancorados barcos enormes.
Há uma grande oferta de pequenos hotéis com diárias a preços acessíveis.
O mesmo em relação aos restaurantes de frente para o mar.
Nas ruas próximas da marina, há várias lojas e butiques bem descoladas.

Por ter sido um point das décadas de 60 e 70, a população de turistas é hoje de idade mais madura, com carrões e motos incrementadas.

Saindo de Saint-Tropez, a estrada beirando o mar é um caminho muito bonito para Nice, Cannes e Mônaco.
Passa por várias pequenas vilas e cidades, mas precisa de um pouco de paciência, porque é trânsito urbano.
São todas balneários de turismo.

Nice é uma cidade considerada grande, à beira-mar.

Próximo a Nice, em direção às montanhas, há duas cidades que valem a pena conhecer, Grasse e a linda vila medieval de Saint-Paul-de-Vince.
Ambas ficam a 30 minutos de Nice.
Há ainda uma pequena e antiga vila ali perto, Biot, famosa pela fabricação de objetos de vidro por sopro. Essa atração funciona no período de Junho a Setembro.
Em outros meses, a vila perde um pouco de seu encanto.
Como há uma estrada secundária para Grasse que passa dentro de Biot, se tiver curiosidade de conhecer, há um estacionamento na entrada da rua principal.
A vila é bem pequena e vai tomar no máximo uma hora do seu tempo.

Casa Dior em Saint Tropez

Perfumarie Fragonard em Grasse

A atração de Grasse são os tours nas Perfumarias Fragonard, Molinard e Galimard, que mostram todo o processo da fabricação dos perfumes desde a escolha das matérias-primas até a colocação nos vidros e nas embalagens.

Segundo a guia que conduziu nosso tour na Fragonard, há hoje em toda a França 50 narizes altamente especializados na preparação e formulação dos novos perfumes.
São capazes de identificar 3.200 diferentes fragrâncias.
A maioria são homens.

Há três escolas para essa profissão na França: em Paris, Versailles e Grasse.
O curso é dois anos e mais sete de especialização.

Grasse é também muito bonita, com suas ruas estreitas e prédios antigos.
Há muitas opções para compras de perfumes e sabonetes nas lojas.

De lá, saem aromas para perfumes tops, como Chanel e Dior.

A história do filme Perfume passa-se em Grasse, as cenas externas, no entanto, foram gravadas em Barcelona, Girona e Figueres, na Espanha, e em Paris.
A cena da orgia no final do filme foi gravada no Poble Espanyol, um museu ao ar livre em Barcelona, na região de Montjuic, próximo do Centro Olímpico.

Saint-Paul-de-Vince é uma vila medieval pequena, charmosa e linda.
Ali, viveram Modigliani, Matisse, Chagal, James Baldwin, Yves Montand e Simone Signoret entre outros.
Além de lojas e butiques super descoladas, há uma grande opção de pequenos e charmosos restaurantes.

Na minha programação, paramos em Vence para almoçar e fomos dormir em Grasse.

Marina em Cannes

Saint Paul-de-Vence

Cannes é uma cidade de praia muito procurada pelos turistas.
Vale a pena também conhecer pelo charme que representam os festivais de cinema e propaganda.
Uma visita ao Palácio dos Festivais é obrigatória.

Continuando a sequência de cidades na Côtes D’Azur, vem o Principado de Mônaco.
Há várias opções de hotéis e preços muito variados.
Os restaurantes ficam bem espalhados pela cidade, e não são muitos.
Se decidir dormir em Mônaco, peça a recomendação do restaurante no hotel.
Pela irregularidade das ruas e túneis não é fácil circular pela cidade de carro.
Uma atração super legal é guiar fazendo o circuito da Fórmula 1.
Nesta última viagem, fiz 10 vezes o circuito. Filmei com o celular uma volta completa, com narração e emoção.

Todas estas cidades que estou citando ficam no sul da França, na Provence, Côtes D’Azur, muito perto da Itália.
Em uma viagem é possível programar visitas a várias delas.
Acredito que 10 dias bem programados são suficientes.
Minha sugestão é pegar um mapa desta região, escolher as cidades que vão querer conhecer, e programar a viagem.
São todas relativamente próximas umas das outras.
Se alguém precisar de dicas, estou à disposição.

No próximo post, vou contar a viagem à região do vinho Barolo, no Piemonte, Itália.

 Estou à disposição para dúvidas ou dicas:miltonassumpcao@terra.com.br


Deixe aqui o Seu Comentário

Total de Comentários: 1
OK
Informe o seu nome.
OK
Informe o seu e-mail.
OK
Informe o seu site.
OK
Informe o seu comentário.
maria paula - 25/11/2015 às 13h38
adorei, Milton!!!!!! viagem completa com todos os detalhes!!!!!! Parabéns!!!!
Conteúdo Relacionado